[VÍDEO] The Machine Is Us/ing Us

Em momentos pós-eleições americanas, nas quais a web foi fundamental para a campanha de Obama e teve peso decisivo na escolha do novo grande líder mundial, é hora de nós repensarmos um pouco o espaço com o qual aprendemos, nos conectamos e principalmente, colaboramos – como não poderia deixar de ser em tempos “2.0” – embora essa palavra me parece uma gradessíssimo clichê.

Repensar nossa postura, como profissionais do meio, é uma reflexão necessária. O mundo moderno se tornou de tal forma tão dependente da rede, e ao mesmo tempo tão vulnerável em sua depêndencia que nossa responsabilidade cresce e muito.

Construir interfaces para web, também se tornou uma tarefa que vai além da relação com o desktop, e abrange um universo bem maior de gadgets, que aumentam ainda mais nosso desafio de planejar, desenvolver e apresentar essas interfaces.

Pra complementar a discussão, um vídeo interessante (que não é inédito) mas aborda de uma maneira bastante criativa a importância da web (e das novas tecnologias), e sua influência sobre nossas vidas, no presente e no futuro próximo.

Bom final de semana a todos.
;)

MobieMobz, Orkut e a web para o mundo

Com a modinha do 2.0 surgiram redes sociais para qualquer coisa – e as redes socias viraram nome para qualquer coisa onde você possa colocar um link e uma foto. Ainda assim, não há o que discutir: as redes sociais são um fenômeno.

Depois de convencerem a Nestlè a trazer de volta aos supermercados o bom e velho Nescau – que tentou entrar na moda do 2.0 com um gosto de Toddy e latinha torta – os usuários já perceberam que podem usar a força do Orkut para serem ouvidos.

O pessoal do MobieMobz também entendeu isso muito bem ao criar uma rede social voltada exclusivamente para amantes de filmes independentes. O mais interessante disso tudo, não é a rede social em si, e sim a mobilização para a exibição desses filmes.

Filmes que quase nunca figuram nas grandes salas de cinema, agora podem ser exibidos se os usuários se mobilizarem para que a exibição aconteça. Basta que pessoas da mesma cidade escolham votem nos filmes que querem assistir, e uma sessão é marcada.

O conceito é simples, colaborativo, e demonstra a força que a web ganhou nos últimos anos. E o mercado já percebeu essa força. Na Inglaterra, investimentos em publicidade online já ultrapassaram os investimento em televisão, no Brasil, ainda não chegamos a isso, mas a publicidade na internet cresceu 36% no primeiro trimestre desse ano.

E é muito provável que olhos se voltem cada dia mais para web: a promissora TV Digital, a chegada da rede 3G, as bandas cada dia mais largas, as limitações técnicas cada dia menores, são realidades que vão aumentar ainda esse destaque.

Mais interação e recursos significam mais abrangência, e uma web mais poderosa. A tendência passa a ser da web para o mundo físico. Metafóras de uma “Lixeira” no seu desktop? Esqueça… as coisas nascem aqui agora.