Novidades do WordPress para a versão 2.7

Essa semana no blog do WordPress foram anunciadas as mudanças na interface de Admin da versão 2.7 do WordPress. Após as enquetes com os usuários sobre as preferências de cada um, a equipe do Matt apresentou os wireframes.

Wireframes da nova versão do WordPress

As novidades mais interessantes são:
– Menu lateral com subníveis
– Novos grupamentos de itens no menu
– Itens de cada área podem ser colapsados, expandidos e arrastados estilo “drag and drop”
– Possibilidade de escolher os itens que serão exibidos ou emitidos em cada sessão

Infelizmente, essas mudanças ainda são parte do protótipo. Mas pra quem já que dar uma melhorada no Admin, existem alguns plugins para isso:

Lighter Admin Drop Down Menus

Imagem do Lighter Admin Drop Down Menu

Já usei esse plugin, facilita muito a navegação, porque não você pode diminuir os cliques no meio do caminho. Mas o plugin é incompatível para que usa plugins que abrem um terceiro nível de navegação, que é omitido.

Ozh’ Admin Drop Down Menu

Imagem do Ozh Admin Drop Down Menu

Esse eu nunca testei, mas oferece as mesmas facilidades do Lighter Menus. Não sei como se comporta com plugins que tem subníveis de navegação. Mas se alguém testar, dps vem me falar ok? ;)

Fluency Admin
Fluency Admin

Eu não conhecia o plugin até ontem, quando o Kadu me apresentou. O plugin com certeza foi fonte de inspiração pra versão nova do WP. Para quem é muito ansioso ou quer ver se vai adaptar com esse modelo lateral de menu, é uma ótima opção instalar esse plugin (compatível somente com as versões 2.6x do WordPress).

Usando conditional tags para o WordPress

Como o WordPress gera automaticamente as páginas e posts, é impossível alterar a estrutura de uma página única, certo? Errado. O Matt (criador do WordPress) pensou em tudo e criou assim as Conditional Tags. Elas servem para definir atributos para conteúdos específicos do WordPress, como Pages, Posts, além de Tags, Autores, Anexos, Feeds, Arquivos…

As Conditional Tags funcionam basicamente com condições (if’s) dentro dos quais você pode definir valores para aqueles elementos. Vamos a exemplos mais práticos:

Aqui no blog por exemplo, queríamos fazer uma meta description somente para home. No entanto, o WordPress trabalha com includes, ou seja, o arquivo do header – onde ficam as metatags – , é um só para todos as páginas / posts.

Para resolver, foi só colocar no header:

<?php if ( is_home() ) { ?>
    <meta name="description" content="Internet e vida a dois - unindo o útil ao desagradável. Um blog de um casal meio geek, que só sabe falar disso." />
<?php } ?>

Da mesma forma, poderíamos definir propriedades exclusivas para autores ( is_author () ); categorias ( is_cathegory () ); posts ( is_single () ); etc. Dentro dos parênteses, bastaria setar o id do banco de dados ou nome do autor, categoria, post, etc.

Nesse caso, mais um exemplo seria e colocar em todos os textos do Danilo aqui no blog uma frase “Vaii Corinthiiians!”, pra quando não fosse o Danilo (no caso, quando fosse eu) seria “Vaii Cruzeiiro!!”. Não vou fazer isso de verdade, mas se fizesse, o código ficaria assim:

<?php
if (is_author('Danilo')) {
    echo 'Vaiii Corinhtians!!';
} else {
    echo 'Vaii Cruzeiiiro!!';
}
?>

Isso torna o WordPress altamente customizável, e possibilita o uso do sistema como um CMS. Outro grande auxilio é conhecer a hierarquia de templates – ou Template Hierarchy – mas isso é assunto pra outro post.

Mais sobre a documentação de Conditional Tags em Codex(em inglês).